Estatuto Social
Diretoria

Sobre a Amata

História

A Associação Mundial Antitabagismo e Antialcoolismo (AMATA), uma Organização Civil Sem Fins Lucrativos, foi idealizada no início de 2004 para atuar em favor da saúde dos dependentes químicos de drogas lícitas, e criar um banco de informações e notícias confiável e de fácil acesso sobre o tabagismo e o alcoolismo e seus desdobramentos na área da saúde. Nunca contou com o apoio financeiro de qualquer indústria, nem de qualquer outro organismo nacional ou internacional, público ou privado, o que garante a sua total e irrestrita independência a qualquer tipo de ingerência no seu trabalho ou manifestações.

Foi inspirada na atuação da Associação de Defesa da Saúde do Fumante (ADESF), assim como essa nasceu como um braço de atuação do eminente médico tisiologista e pneumologista Dr. José Rosemberg.

Em abril de 2005 foi realizada a Assembleia Geral de Constituição da AMATA. A escolha do termo Mundial deveu-se ao fato de no Brasil já existir a Associação Nacional de Combate ao Tabagismo (ANACOTA), com sede em Belo Horizonte, e pelo caráter transnacional dessas indústrias.

Objetivo

A AMATA tem como objetivo combater a pandemia mundial do alcoolismo e do tabagismo, elevados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) à categoria de doença, respectivamente, desde 1967 e 1992.

Visa, no âmbito do tabagismo, colaborar na construção do Mundo Sem Tabaco preconizado desde 1987 pela OMS. Além das 6 milhões de mortes por ano no mundo, 200 mil no Brasil, sendo 10% do fulminante e doloroso câncer de pulmão, a expectativa de vida do fumante é reduzida, por dados levantados pela OMS e organismo internacionais, em média, de 7 a 10 anos. Não existem níveis seguros para o consumo do tabaco.

No âmbito do alcoolismo, visa o fim de qualquer tipo de publicidade da bebida alcoólica, e o combate ao consumo do álcool por menores de 18 anos, na gravidez e em situações em que a atenção e reação sejam plenamente exigidas, como na direção de veículos automotores e operação de máquinas.

 

Para saber mais sobre as políticas públicas de proteção às gerações presentes e futuras das devastadoras consequências sanitárias, sociais, ambientais e econômicas geradas pelo consumo e pela exposição à fumaça do tabaco, instituídas pela OMS e ratificadas por mais de 100 países:

Convenção Quadro para Controle do Tabaco - CQCT
(Promulgada pelo Decreto nº 5.658, de 02/01/2006)